Rottweiler amigo da criança

Evitando ser mordido por cães

 

É um erro de julgamento imaginar que a maioria das mordidas de cães ocorre em encontros com cães desconhecidos na rua.

 

Um estudo da Faculdade de Veterinária da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, mostra que 77% das pessoas mordidas por cães eram membros da família ou amigos próximos do dono do animal. Ou seja, conheciam o cão.

 

Geralmente os problemas se devem ao fato da falta de comprometimento com um pouco do conhecimento do comportamento canino, por parte de alguns donos. Hoje em dia, com a chegada da internet, temos disponível um grande suprimento de informações e estudos sobre o comportamento canino. Basta que a pessoa tenha um pouco de tempo disponível (e vontade), junto a um bom “filtro” (pois o que se encontra de bom, se encontra em dobro de ruim), para que consiga adquirir um pouco de “feeling”, sabendo então, identificar os problemas e as virtudes de seu cachorro, e assim utilizar de um manejo personalizado e correto, evitando acidentes.

 

É de conhecimento geral (ao menos deveria ser), dentro das comunidades cinotécnicas, que o Brasil não é um Pais que tem uma “cultura” relacionada a cães. Essa deficiência (para a cinotecnia) se deve ao fato de ser um Pais onde não havia cães como animais selvagens á serem domesticados. Isso com o passar dos séculos, acabou se tornando o fator predominante para o nosso “atraso” no desenvolvimento de um manejo adequado com esses animais.

 

Dois cães brigando e mordendo

 

E é ai que vocês me perguntam,…. “E eu com a Light?”

 

*Para quem não sabe, ou nunca ouviu o termo, era muito utilizado em São Paulo, nos anos 80, que queria dizer, “ e eu com isso”, ou “o que isso tem em haver com aquilo”, etc.

 

*Light S/A – Foi a empresa privada de geração, distribuição, comercialização e soluções de energia elétrica, com atuação em São Paulo, por muitos anos. Hoje não mais.

 

Isso acaba nos colocando alguns séculos atrasados, com relação ao velho mundo. Pois estes sim, já tinham cães selvagens, dos quais através de cruzamentos espontâneos, e trabalhos genéticos propositais, criavam e domesticavam cães para auxiliar nas mais diversas funções. Esse longo tempo de manejo e “desbravamento” sobre o comportamento de canídeos, os tornaram “Experts” da interação adequada com cães.

 

Sendo assim, a falta, ou deficiência de conhecimento, ou expertise, relacionados ao manejo com cães, irão, com certeza, refletir em ACIDENTES COM ATAQUES E MORDIDA DE CÃES, em algumas situações peculiares.

 

Voltando ao estudo sobre estatísticas…

 

Outro dado esclarecedor do mesmo estudo mostra que 50% dos atacados são crianças com menos de seis anos. Nestes casos, o que normalmente ocorre é que a mordida é fruto de uma brincadeira que foi longe demais, ou então a criança não foi corretamente educada e fiscalizada pelos pais em se tratando de convívio com cães.

 

Rottweiler adestrado proteção

 

Ensinar para as crianças que convivem com cães que todos os cães, por menores que sejam, devem ser tratados com respeito, é um primeiro passo importante. Porém, se acaso nem você souber como,… como irá orientar outros?

 

Ensinar que nem todo cachorro reage da mesma maneira também é fundamental. Não é por que o São Bernardo do vizinho aceita ser puxado pelo rabo, que o Pit Bull do outro lado da rua vai gostar da mesma brincadeira.

 

Aqui vai um manual prático de como evitar ser mordido por cães:

 

NUNCA se aproxime de um cão que você não conhece. Se realmente tiver que fazê-lo, busque informações desse cão, sobre históricos passados, de mordidas.

 

NUNCA entre em um quintal com um cachorro solto, a não ser que seja seu cão, ou que você esteja em companhia do dono do animal. Mesmo assim, questione antes a sociabilidade do cachorro.

 

NUNCA estique a mão por uma cerca para fazer carinho em um cão que não te conhece, mesmo que o dono esteja com você. Procure estreitar um elo de confiança fazendo mais visitas, porém, sem abordar diretamente o cachorro. Deixe-o buscar o contato primeiro.

 

NUNCA se aproxime de um cão comendo, dormindo, ou principalmente roendo um osso ou brinquedo. Mesmo sendo seu, esse cachorro pode não ter passado pelas fases de aprendizagem da boa conduta. Ele pode realmente se incomodar com esse “cenário”, despertar um comportamento possessivo, e proteger seu osso, ou brinquedo, com ameaços e até mesmo com mordidas.

 

Pug com cara de mau

 

NUNCA dê comida para um cão sem a permissão e supervisão do dono. Mesmo que você tenha a melhor das intensões, pode haver fatores diversos que implicam nessa prática, como por exemplo:

 

O que você está oferecendo pode não fazer bem para aquele cão em específico

 

O cachorro pode não ter tido a oportunidade de ser treinado para boas condutas, e machucar sua mão pegando a “guloseima” de uma forma muito voraz.

 

Poderá também, devido à falta de manejo adequado, entrar em um comportamento de possessividade logo após receber a “guloseima”, e mordê-lo.

 

NUNCA agrida um cão, ou agarre um cachorro desconhecido, nunca puxe seu rabo ou segure suas patas. Se o cão for seu e te amar e respeitar, provavelmente ele vai passar por cima disso tudo, mas se não, vai te morder com certeza.

 

Algumas vezes esse cenário não acaba bem, independente da raça!

 

NUNCA chegue com o rosto perto de um cão que não seja seu. 70% das mordidas de cães são no rosto das pessoas. Geralmente esse é o resultado daquelas “apertadinhas nas bochechas”, e beijinhos. Se contenha! Seja prudente e respeitoso! Nem todos os cães estão preparados para entender essa sua “linguagem”.

 

NUNCA tente separar uma briga de cães a não ser que ambos sejam seus, e mesmo assim se você não ligar para umas mordidinhas nos braços. A não ser que tenha algum conhecimento e prática no manejo com cães. Esse, e muito mais conhecimentos você poderá obter através de Cursos de Adestramento.

 

Pit Bull com cara de mau

 

NUNCA corra, grite ou faça barulhos altos perto de um cão que você não conheça. E principalmente NUNCA grite com ele achando que vai assustá-lo. A primeira reação de um cão assustado ou confrontado normalmente é o ataque. Procure sempre pensar nos riscos, antes das emoções! Esse pensamento te manterá seguro!

 

NUNCA tire nada de um cão sem a ajuda do dono. Se ele roubou a bolinha que você estava usando, peça ajuda ao dono do cão para recuperá-la. Os cães são desprovidos de discernimentos e inibição, portanto, se algo que é seu chamar a atenção, ele não fará a menor “cerimônia” para pegar de você.

 

NUNCA chegue perto de um cão machucado, se você não souber o que esta fazendo, por melhor que sejam suas intenções. Como eu disse acima, os cães são desprovidos de discernimentos, e sob um alto nível de estresse, ocasionado por algum ferimento, a última coisa que ele irá entender, é que um estranho está se aproximando para ajudar. Lembre-se, cachorro tem comportamento de cachorro! Não se engane em querer acreditar que a espécie detém as mesmas práticas e conceitos dos seres humanos.

 

Esse é o maior erro, e que pode ser denominado como “Humanização”.

.

Pit Bull Curioso

 

NUNCA chegue perto de uma mamãe com seus filhotes, a não ser que ela seja sua, ou que você saiba realmente o que esta fazendo. O bem mais valioso para qualquer espécie é sua prole, pois é isso exatamente que quer dizer “perpetuação de espécie”. Ou seja, se uma espécie não se utiliza de “técnicas” para fazer com que o seu material genético se espalhe, ela não terá sucesso e certamente irá se extinguir. E esse instinto maternal, que é um comportamento de auto preservação, poderá desencadear acidentes gravíssimos, se a “linha vermelha” for ultrapassada em um momento impróprio.

 

SEMPRE peça permissão para fazer carinho em um cão que você não conheça, (caso você tenha essa vontade incontrolável). Permissão do dono, e não do cão!

 

Muitos donos de cães entram em um “estado de ciúme” de seus cães, seja por qual motivo for. Outros já conhecem e sabem dizer exatamente se seus cães são sociáveis, ou não, a ponto de se permitir serem tocados por pessoas estranhas. E caso tenha um retorno positivo, seja cauteloso de qualquer forma, deixe que o cão chegue primeiramente até você, pois essa é a melhor conduta de estreitamento de relação inicial com qualquer cachorro.

 

SEMPRE preste atenção ao nível de excitação do cão durante uma brincadeira. O cão muito excitado pode te morder de “brincadeirinha”, pois é assim que ele brinca com outros cães. Algumas raças mais específicas tem esse comportamento muito mais pronunciado do que outras. Esses cães entram em um estado “excitatório” meio que extremo, e durante essas brincadeiras (que para eles nunca são o bastante), acabam “pedindo mais”, só que de forma mais intensa, onde pequenas (e grandes) “beliscadas”, acabam em ferimentos muito doloridos. Esses casos acontecem com mais frequência em raças como, o Pastor Belga de Malinois, os Pastores Alemães com linhas de sangue de trabalho, Border Collies, Australian Cattle Dog, e fazem parte desta lista também (pasmem), muitos exemplares de Labradores e Golden Retrievers.

 

Supondo que você é um anjo, e seguiu direitinho tudo o que citei acima, mas mesmo assim encontrou com um cão na rua, e teve (novamente), aquela vontade incontrolável de ir “fuçar no dog”, aqui vão mais algumas dicas (valiosíssimas):

 

Uma calda balançando não significa um convite para brincar! O balançar da cauda também é uma linguagem corporal da espécie canina, que pode significar um estado excitatório, que “traduzindo” para o nosso idioma, pode também estar querendo dizer que “O bicho vai pegar!” CUIDADO!

.

Pastor Alemão Preto Adestrado deitado

 

Cães medrosos quando acuados, quase sempre atacam, pois se sentem ameaçados. Rabo no meio das pernas, cabeça baixa, tentativa de se esconder e evitar olhar nos seus olhos são também partes da “linguagem” do cão em demostrar medo. Não se aproxime!

 

Atitudes como cabeça alta, orelhas portadas para frente, olho nos olhos, boca fechada, cara de mau, olhar fixo, são sinais de um cão “honesto”, seguro e firme, dizendo para você:

 

“Não estou feliz com a sua presença”.

“Não ultrapasse a linha vermelha”.

“É certeza, sou forte e vou te pegar”.

 

Dentes à mostra, pelos arrepiados e excesso de latidos, ou rosnados, são sintomas básicos de cães inseguros, que se tornam agressivos. São os famosos “Mordedores por medo”. Neste caso, Fique calmo e fale com voz baixa e suave. NUNCA grite, persiga, ou encurrale esse tipo de cachorro. Nesses casos, caso tenha que se aproximar, uma excelente dica é diminuir sua silhueta, ou seja, abaixe, se necessário rasteje, pois será menos “pressão” para esse cachorro.

 

Fique parado e calmo, mantenha seus braços junto ao corpo. NUNCA levante os braços, pois o cão vai se sentir ameaçado, pois para ele você estará “inflando”, aumentando a silhueta, querendo se parecer maior, o que dará a impressão de confronto com possível agressão.

 

Evite ficar olhando nos olhos do cão. Ele vai considerar isto um confronto. De ré bem devagar. Nunca vire as costas para o cão.

 

huski siberiano adestrado

 

Se o cão avançar, tente tirar a camisa ou casaco e chamar a atenção dele com isto. Há boas chances que sua roupa receba a mordida. Isso é importante, no caso de um ataque, utilize qualquer coisa á mão, para estar entre você e o cachorro.

 

Se o cão te morder não puxe. Ele vai travar mais os dentes e te puxar de volta, o que causa um machucado bem pior. Peça ajuda!

 

Se você cair no chão, proteja a cabeça, fique em posição fetal, e fique quieto. Não se mexa ou grite (por mais difícil que seja).

 

E principalmente NUNCA tente revidar quando for atacado. Se for um cão poderoso, esse revide aumentará seus impulsos de combate, e brigará com você com uma maior intensidade.

 

Antes que isso aconteça, se você é uma pessoa que gosta, e sempre tende a interagir, ou manejar cães, busque conhecimento técnico através de Cursos para formação de adestradores.

 

Tomadas as devidas precauções, a porcentagem de risco de ter um acidente grave com cães, cai consideravelmente. Seja prudente e correto! Se gostar de cães, aprenda sua “linguagem”, assim poderá desfrutar com seu convívio, e também orientar pessoas desprovidas de tal conhecimento.

vira latas com cara de mau

Uma resposta

  1. Dicas importantíssimas. Muito úteis e que agregam na relação familiar com o cão e também para os que trabalham diretamente com cães. O texto é de fácil entendimento, esclarecedor, objetivo e pontual.
    Fiz curso pela Dog Master. Acho imprescindível ter formação sobre o universo canino. E indico, sem restrições, os cursos da Dog Master.
    Atuando, recentemente, como adestrador, faço questão de sempre deixar claro para o cliente que tenho formação para atuar e também deixo claro onde me formei e continuo me aprimorando: na Dog Master.
    Att, Elcio (DogElcio) – Monte Alegre do Sul/SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ENTRE EM CONTATO

Obrigado por estar aqui, envie sua mensagem e em breve entraremos em contato novamente!

Abrir Chat