Cães de Guarda e Proteção

Adestrar o seu cachorro para a função de Guarda e Proteção não é uma decisão que deva ser tomada sem o auxílio de um profissional técnico, responsável, e capacitado para isso.

Nesse artigo, ao decorrer do texto, vou prestar muitas informações e dar muitas dicas sobre todo o contexto envolvendo o treinamento de cães para a função de Guarda e Proteção!

Aproveitem a leitura e deixem seus comentários!

Primeiro vamos entender as nomenclaturas utilizadas, porém, de uma forma usada pela maioria dos profissionais cinotécnicos (alguns pronunciam, mas não sabem exatamente as diferenciações). Então vamos auxiliar:

Dentro do meio cinotécnico, quando dizemos “CÃO DE GUARDA” estamos nos referindo a cães preparados através do adestramento, para exercer a função de guardar um bem, como uma residência, um veículo, um galpão, um terreno, etc. Ou seja, é uma referencia maior a um cão territorial.

Também no meio cinotécnico, quando dizemos “CÃES DE PROTEÇÃO” estamos nos referindo a cães preparados com mais afinco para a proteção pessoal e familiar, como um trabalho bem antigo, que foi esquecido há tempos atrás, que eram os cães anti-sequestro. Trabalhei muitos, por sinal!

Então, pode-se dizer que quando pedimos por um cão treinado para Guarda e Proteção, estamos com as expectativas altas e completas. Sendo assim, dispostos a investir na realidade do resultado esperado.

No geral, algumas pessoas que não fazem parte da cinotecnia, quando pensam em Cães de Guarda, pensam logo em ter cães “bravos”, agressivos e intransponíveis.

Outras, já pensam e querem cães que sejam “bravos”, porém somente com “bandidos”, e que com as demais pessoas que visitam o ambiente a convite sejam dóceis e receptivos.

Bom! Algumas partes são possíveis, porém, para se chegar a elas, necessitamos traçar uma programação, que vai desde a escolha da raça, até o suprimento de informação transmitida ao dono do cão, passando pela fase de adestramento, seleção, preparação, etc.

Um bom Cão para Guarda e Proteção deve ser seguro, confiável, tenaz, persistente, estável, controlado, controlável, ter nervos firmes, coragem, obediência, ter noção hierárquica, e muita disciplina. Deve também, na fase correta, ter passado pelo processo de Socialização, Ambientação, e Habituação.

Em uma primeira impressão pode parecer uma missão impossível, ou no mínimo uma possibilidade remota de alcançar esses quesitos. Mas acreditem, é muito mais fácil do que parece, porém, deve-se seguir as fases passo a passo, e com comprometimento.

 Não é que seja difícil, é que as pessoas, hoje em dia, é que querem as coisas muito fáceis, sem trabalho, dor de cabeça, ou estudo. E querem “PRA ONTEM” rsrsrrs.

Vou detalhar a seguir, um passo a passo simples para dar um pouco de direção para quem tiver interesse em ter (de forma responsável) um Cão de Guarda e Proteção confiável.

1º PASSO

Solicitar o acompanhamento por parte de um profissional técnico responsável, que através de uma entrevista abrangente, levantará o perfil do interessado e identificará exatamente qual a necessidade real.

2º PASSO

Já entendendo o perfil e as necessidades, seguimos para as alternativas das raças mais específicas para exercer uma maior efetividade e funcionalidade no empenho de Guarda e Proteção. As opções de raça, idade e sexo, também estão ligadas diretamente ao sucesso de alcançar as expectativas em cada perfil identificado. Ou seja, cada caso, é um caso!

3º PASSO

Determinado as primeiras características (raça, idade, e sexo), vamos “garimpar” quais os criadores que possuem algumas alternativas dentro do esperado. Vamos analisar a genética para ver se favorece, se possível ter acesso aos pais, e aprofundando um pouco mais, verificar a possibilidade de obter informações sobre o que aquele casal já gerou anteriormente. Assim, geneticamente minimizamos as probabilidades de erro.

4º PASSO

Com a genética já resolvida, precisamos agora fazer os Testes Básicos de Seleção para Cães de Guarda e Proteção. Os testes são uma particularidade entre treinadores, onde alguns são mais, ou menos minuciosos, mais, ou menos preparados para o serviço, e com mais, ou menos conhecimento técnico e prático. Ou seja, cabe ao interessado buscar pelo profissional que lhe gere mais confiança. Os testes são de extrema importância para nos livrarmos de problemas indesejáveis para a função. Os problemas de uma má seleção vão desde insegurança, temperamento fraco, agressividade extrema, etc. até a inexistência de habilidades básicas para o propósito.

5º PASSO

Seguimos agora para uma fase tão importante quanto as anteriores, que é o suprimento de informações para o candidato a ter um Cão de Guarda e Proteção. Através de uma consultoria, o interessado aprende e entende como fazer um manejo adequado desse cachorro. É sabido que, para o sucesso na função, as porcentagens se dividem em: 50% na genética e seleção, e 50% no manejo. Com essas partes resolvidas, adestrar um cachorro para Guarda e Proteção não é coisa de outro mundo (desde que haja experiência por parte do profissional).

Assim que seu novo cachorro chegar a casa, sua preocupação deve-se direcionar primeiramente em SEGUIR A PROGRAMAÇÃO DE MANEJO orientada pelo profissional que você optou.

Sendo para o propósito residencial e empresarial, o primeiro trabalho a ser feito é o Adestramento de Obediência Básico, o qual pode ser iniciado á partir dos 4 meses de vida do filhote.

O adestramento de obediência irá agregar controle, autocontrole, disciplina, liderança e hierarquia. Todos esses quesitos são essenciais para o bom desenvolvimento do cão na função de Guarda e Proteção.  Podemos entender que, a Obediência será o “FREIO”, e o Ataque será o “ACELERADOR”. Um não funcionará corretamente e de uma forma segura, sem o outro.

Para os cães com propósito Policial, ou finalidades específicas, esses devem já desde cedo iniciar os “jogos de mordida” que são praticados através de muitas movimentações técnicas com o intuito de “ativar” os instintos preparatórios para o bom desenvolvimento futuro da atividade.

 

Existem muitas raças de cachorros que são criadas e selecionadas geneticamente para exercer um bom trabalho de Guarda e Proteção. E claro! Cada um de nós temos as nossas preferidas!

 

 

Porém, precisamos estar muito bem instruídos sobre as características de cada raça, se realmente se adequam as reais necessidades que temos e também ao perfil de cada família, ou casos específicos.

 

É comum presenciarmos pessoas adquirindo cães de raças “poderosas”, porém, não tendo experiências anteriores com cães de guarda. Geralmente adquirem esses cães por impulso, ou “modismo”, e não se preocupam em buscar habilidades técnicas, e informações prévias sobre.

 

A ignorância e as mídias geralmente descriminam muito algumas raças, e em contra partida idolatram outras. Isso ocorre, na maioria das vezes de forma errônea, pois o que realmente nos interessa é estudar o perfil de cada interessado junto as suas necessidades, para poder direcionar o exemplar que lhe trará maior probabilidade de exercer a função com maior efetividade, e com as menores possibilidades de risco, desconforto, ou problemas de adequação.

 

Com relação às possibilidades de raças para o Adestramento de Cães de Guarda e Proteção, eu particularmente tenho as minhas preferências.

Sendo um profissional atuante há quase 40 anos neste segmento, e de forma ininterrupta, já adestrei muitos cães de Guarda e Proteção, e nesse tempo desenvolvi a possibilidade de criar minhas estatísticas através das minhas experiências e bagagem prática.

Não quero descriminar nenhuma outra raça, apenas as que cito são as minhas preferidas devido a, versatilidade, tenacidade, adestrabilidade, temperança e equilíbrio. Nessa minha longa trajetória aprendi uma lição muito prudente, que é “A roda já foi inventada”! Porém, mesmo assim não deixo de estudar e experimentar outras e as novas alternativas e possibilidades.

As MINHAS preferências são:

Pastores Alemães (genética voltada ao trabalho)

Rottweilers

Dobermans

Pastores Belga de Malinois (com uma minuciosa seleção prévia)

Os Filas e os Boxers também me agradam muito para algumas finalidade e necessidades mais específicas.

6 respostas

  1. Como sempre, ótima abordagem do assunto cão de proteção! Vamos replicar informações com qualidade.
    Sucesso.

    @_eck9

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ENTRE EM CONTATO

Obrigado por estar aqui, envie sua mensagem e em breve entraremos em contato novamente!

Abrir Chat